Seu navegador não suporta javascript!

Programa de Parcerias de InvestimentosPPI

Câmara aprova urgência do Projeto de Lei que abre caminho para desestatização dos Correios

Home > Notícias > Câmara aprova urgência do Projeto de Lei que abre caminho para desestatização dos Correios

20 de abril de 2021

Câmara aprova urgência do Projeto de Lei que abre caminho para desestatização dos Correios

Correios

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (20/4), por 280 votos a favor e 165 contrários, uma abstenção e cinco obstruções, a urgência do PL 591/2021, que define novo Marco Regulatório para o setor postal e abre caminho para a desestatização dos Correios. O texto, entregue em fevereiro pelo Governo Federal, também define a obrigatoriedade do cumprimento de metas de universalização e qualidade dos serviços e estabelece que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) seja a Agência Reguladora dos serviços postais. Desta forma, o Governo garante a modernização e aprimoramento do serviço postal.

Com a urgência aprovada, o texto passa a ser prioritário e será avaliado diretamente pelo plenário, como prevê o regimento interno. A matéria poderá ser votada nas próximas sessões, sem precisar passar por comissões. Se aprovada, irá para o Senado.

“Esse projeto foi mandado pra cá, ele tem prazo, e hoje estamos só a debater a urgência da votação, para que a gente possa designar o relator”, disse o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Com a matéria em pauta, será possível debater o “melhor texto”, explicou.

O relator do PL 591/2021 será o deputado Gil Cutrim (Republicanos-MA). “Peço a aprovação [da urgência] na garantia e na segurança de que faremos um grande debate em relação à construção de um texto que dê segurança jurídica à empresa de postagem”, disse em plenário. 

O marco regulatório é responsável por estabelecer as regras do ambiente econômico onde interagem as empresas privadas, o Governo e os consumidores. A criação de um marco regulatório claro e bem concebido é fundamental para estimular a confiança de investidores e consumidores, para garantir o acesso aos serviços básicos à sociedade e para o bom funcionamento do setor.

"Esse é mais um passo importante para a modernização do setor postal, que precisa de investimentos que superam os R$ 2 bilhões/ano no Brasil, que só vão se concretizar com a gestão privada dos Correios", pontua a Secretária Especial do PPI, Martha Seillier. 

Em paralelo à tramitação do Projeto de Lei, estão em andamento os debates e estudos para a definição do melhor modelo de desestatização, que pode ser, por exemplo, a venda direta ou a venda do controle majoritário.

A Fase 1 dos estudos foi concluída e aprovada em março pelo Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos. Estão ainda previstas as Fases 2, de modelagem, com previsão de conclusão em agosto de 2021 e Fase 3, de implementação, cujo cronograma dependerá da aprovação do Projeto de Lei 591/21 no Congresso Nacional.

O processo inclui a análise pelo Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) e a participação da sociedade e do mercado por meio de audiências públicas. Por fim, o edital será remetido ao Tribunal de Contas da União (TCU) e publicado para a realização do leilão tão logo seja aprovado pela Corte.

Vale lembrar que na última semana foi publicado o Decreto nº 10.674, que inclui a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) no Programa Nacional de Desestatização (PND).

Leia outras notícias

  • Realizada concorrência da Floresta Nacional de São Francisco de Paula, no Rio Grande do Sul

    Continue lendo
  • TCU aprova estudos de concessão da BR-381/262/MG/ES e da Dutra

    Continue lendo
Acesso à Informação
Governo do Brasil