Seu navegador não suporta javascript!

Programa de Parcerias de InvestimentosPPI

Governo lança obra da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste

Home > Notícias > Governo lança obra da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste

17 de setembro de 2021

Governo lança obra da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste

Governo lança obra da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste

Serão investidos R$ 2,7 bilhões na implantação de 383 quilômetros de novos trilhos, entre Mara Rosa (GO) e Água Boa (MT). Linha férrea possibilitará escoamento da safra produzida no Centro-Oeste até portos das regiões Sudeste e Nordeste e tem previsão de abrir 4,6 mil postos de trabalho

 

A Secretária Especial do Programa de Parcerias de investimentos, Martha Seillier, participou nesta sexta-feira (17/9), da cerimônia que marca o início das obras da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico). O evento aconteceu na cidade de Mara Rosa em Goiás e contou com a presença de autoridades locais, além do Presidente da República, Jair Bolsonaro, do Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas e do Governador de Goiás, Ronaldo Caiado.

Serão investidos R$ 2,7 bilhões na implantação de 383 quilômetros de novos trilhos, entre Mara Rosa (GO) e Água Boa (MT). Linha férrea possibilitará escoamento da safra produzida no Centro-Oeste até portos das regiões Sudeste e Nordeste.

A FICO foi viabilizada com base no mecanismo de investimento cruzado, que permite que empresas detentoras de outorgas ferroviárias do governo federal possam renovar o contrato fazendo outros investimentos. Nesse caso, a mineradora Vale vai desembolsar integralmente os recursos para construir a nova ferrovia, em troca da renovação da concessão da Estrada de Ferro Vitória-Minas, operada pela empresa.

O projeto foi qualificado no portfólio do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) em 2018, durante a 7a Reunião do Conselho do PPI. Para a Secretária Martha Seillier, este projeto ressalta a importância da logística no país. “Estamos falando de investimentos de quase três bilhões de reais. O Governo Bolsonaro está colocando o Brasil nos trilhos e é mais um investimento fundamental para o desenvolvimento da  logística brasileira”, afirmou Seillier.

Em seu discurso, o Ministro Tarcísio de Freitas disse que este é o início de um corredor logístico que integrará o Brasil de leste a oeste. “A FICO vai ligar o Vale do Araguaia à [Ferrovia] Norte-Sul e, futuramente, ao litoral da Bahia, por meio da Fiol [Ferrovia de Integração Oeste-Leste]. A gente vai ver a carga do Centro-Oeste saindo pelo Porto de Santos (SP), de Itaqui (MA) e, muito em breve, pelo de Ilhéus (BA). Aqui em Mara Rosa, estamos vendo surgir o futuro”, ressaltou Tarcísio Freitas.

Serão investidos nesta obra R$ 2,7 bilhões da outorga da renovação antecipada do contrato com a Vale pela Estrada de Ferro Vitória-Minas. Ou seja, graças ao mecanismo de investimento cruzado, a contrapartida no contrato de uma ferrovia está viabilizando um novo projeto para a expansão da nossa malha ferroviária. Além disso, a obra vai possibilitar a abertura de 4.600 novos postos de trabalho diretos e indiretos.

Valec é a empresa pública que detém a concessão da futura ferrovia e conduzirá a obra, cujos primeiros 383 quilômetros devem ser implantados em até cinco anos, conforme prevê o contrato. Coube à estatal elaborar os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental (EVTEA); o projeto básico, que indica o traçado que a linha férrea deverá percorrer; e obter a licença de instalação junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que permitiu a execução da obra.

Conforme a empresa, os projetos da FICO foram adequados para garantir a sustentabilidade do empreendimento. Houve a redução da quantidade de aterros previstos nos quilômetros iniciais da ferrovia com altura superior a 20 metros, o que permitirá a travessia de animais de um lado a outro da linha férrea e minimizará possíveis acidentes.

Deve-se destacar ainda os benefícios do empreendimento para o agronegócio da região Centro-Oeste, onde há uma demanda reprimida por transporte ferroviário de cargas. A alta produção agrícola regional terá vasão e o alto custo do frete será remediado, tendo em vista que a linha férrea abrirá várias opções para o escoamento da safra.

 

Leia outras notícias

  • PPI, MDR e Caixa ampliam parceria com Banco Mundial para consultoria em projetos de concessão e PPP

    Continue lendo
  • Publicado o edital da Segunda Rodada de Licitações dos Volumes Excedentes da Cessão Onerosa

    Continue lendo
Acesso à Informação
Governo do Brasil