Seu navegador não suporta javascript!

Programa de Parcerias de InvestimentosPPI

Publicados editais dos projetos de Cobre de Bom Jardim/GO e de Fosfato de Miriri/PE-PB

Home > Notícias > Publicados editais dos projetos de Cobre de Bom Jardim/GO e de Fosfato de Miriri/PE-PB

01 de dezembro de 2020

Publicados editais dos projetos de Cobre de Bom Jardim/GO e de Fosfato de Miriri/PE-PB

Publicados editais dos projetos de Cobre de Bom Jardim/GO e de Fosfato de Miriri/PE-PB
Foram publicados, nesta segunda-feira (30/11), os editais da promessa de cessão de direitos minerários dos projetos de Bom Jardim e Miriri, de titularidade da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) e qualificados no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Os leilões serão realizados no dia 4/3/2021, e os editais estão disponíveis neste link
 
O lançamento dos editais foi realizado na quinta-feira (26/11), durante o Congresso Brasileiro de Mineração. “É um grande dia. Estamos celebrando a publicação desses editais importantes, com leilões já marcados. Parabenizo todas as equipes envolvidas por termos conseguido avançar com esse projeto, que já foi avaliado pelo TCU como um bom projeto. Sabemos do potencial desse setor no Brasil, e o modelo é inovador porque traz o parceiro privado para avançar na agenda de pesquisas junto com o governo. Esses projetos contribuirão para a nossa agenda de retomada da economia”, enfatizou a Secretária Especial do PPI, Martha Seillier, durante o evento virtual. 
 
O presidente da CPRM, Esteves Colnago, afirmou que os projetos se traduzem em uma oportunidade ímpar para os pequenos e médios investidores. “Convido todos a participarem. É um projeto muito importante, que pode gerar renda, emprego, arrecadação e outros efeitos muito importantes para o país”, disse. 
 
Durante o evento, o modelo de negócios proposto para os projetos foi apresentado pelo Presidente da Comissão Especial de Licitação da CPRM, Leandro Bertossi, e pelo Diretor de Programa do PPI, Frederico Munia. “Esse modelo foi construído em um intenso debate com a sociedade, por meio de diversas consultas. É um modelo de negócios bastante atrativo para os investidores. A CPRM, em conjunto com o PPI e o MME, tem buscado facilitar o investimento do setor privado e desenvolver projetos que trazem receitas para os municípios, geram empregos e sejam transparentes”, destacou o Diretor de Geologia e Recursos Minerais da CPRM, Márcio Remédio. 
 
“O grande desafio em projetos como esse é encontrar o equilíbrio entre o que é atrativo para o investidor e que, ao mesmo tempo, gere os melhores resultados para a sociedade. E nesse caso específico, a chancela do Tribunal de Contas da União é a maior garantia de que esse equilíbrio está sendo alcançado”, afirmou o Secretário da Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia (MME), Alexandre Vidigal.
 
Os projetos Cobre de Bom Jardim/GO e Fosfato de Miriri/PE-PB são dois dos cinco ativos minerários de propriedade da CPRM que foram qualificados no PPI até o momento. O primeiro (Complexo Polimetálico de Palmeirópolis/TO) foi leiloado, com sucesso, em novembro de 2019. Os outros dois projetos qualificados, Carvão de Candiota/RS e Caulim de Rio Capim/PA, ainda em fase de estudos, deverão ir à leilão em 2021.
 
Entre os dias 14 e 18/12, será realizado um road show com os interessados nos projetos, que deverão se inscrever clicando aqui.
 
Cobre de Bom Jardim/GO
 
O Projeto Cobre de Bom Jardim/GO corresponde a um depósito de cobre com ocorrência também de cobalto e ouro (este último em valores muito baixos) em uma área total de 1.000 hectares. A pesquisa compreendeu 29 perfurações, totalizando 6.725,40 metros de sondagem realizadas. O estudo avaliou capacidade para 12,2 milhões de toneladas de minério com teor médio de 0,21% de cobre e 0,025 ppm de cobalto. O Capex do projeto é estimado em US$ 19,5 milhões e o Opex em US$ 42,7 milhões.
 
O vencedor do leilão será definido pela maior proposta de bônus de assinatura, partindo de R$ 2 milhões, com pagamentos em parcelas crescentes ao longo das etapas de pesquisa complementar, cessão de títulos minerários e concessão de lavra. Ao vencedor caberá executar etapa de pesquisa complementar na área e, se constatada a viabilidade da lavra, 1% da receita bruta obtida com a operação da mina será pago a título de royalty à CPRM.
 
Fosfato de Miriri/PE-PB

O Projeto Fosfato de Miriri/PE-PB é composto por sete processos minerários, cobrindo uma área total correspondente a 6.112,18 hectares nos estados de Pernambuco e Paraíba. Os dados coletados durante a pesquisa mineral executada pela CPRM apontam para a existência de 114,7 milhões de toneladas de minério com teor médio de 4,19% de fosfato (P2O5). O fosfato é um dos principais insumos para produção de fertilizantes minerais, sendo amplamente utilizado pelo agronegócio. O mineral é considerado estratégico porque o Brasil depende largamente da importação desse produto para atender à demanda interna.
 
São esperados aproximadamente R$ 190 milhões em investimentos caso o projeto resulte em um empreendimento minerário para produção de concentrado de fosfato. Além disso, há expectativa de geração de novos empregos e aumento da arrecadação de receitas tributárias.
 
O vencedor do leilão será definido pela maior proposta de bônus de assinatura, e caberá a ele caberá executar trabalhos de pesquisa complementar na área. Caso ao final os trabalhos comprovem a viabilidade econômica da produção de concentrado de fosfato, o vencedor deverá pagar à CPRM, além do bônus de assinatura, o valor de R$ 2,6 milhões à título de bônus de descoberta, além de 1% da receita bruta das vendas como royalty.
 
Uma peculiaridade deste projeto é a possibilidade de conversão do empreendimento para produção de agromineral (fertilizante simples para uso e aplicação direta no solo, que necessita de investimentos menores), caso o projeto completo (produção de concentrado de fosfato) não se prove viável economicamente. Essa alternativa deve ampliar as possibilidades econômicas do projeto e deverá aumentar a atratividade do leilão ao despertar o interesse de mais agentes econômicos pelo ativo.

Leia outras notícias

  • Realizada concorrência da Floresta Nacional de São Francisco de Paula, no Rio Grande do Sul

    Continue lendo
  • TCU aprova estudos de concessão da BR-381/262/MG/ES e da Dutra

    Continue lendo
Acesso à Informação
Governo do Brasil