Seu navegador não suporta javascript!

Programa de Parcerias de InvestimentosPPI

Leilão de fontes renováveis de energia somam R$ 1,9 bilhão em investimentos

Home > Notícias > Leilão de fontes renováveis de energia somam R$ 1,9 bilhão em investimentos

28 de junho de 2019

Leilão de fontes renováveis de energia somam R$ 1,9 bilhão em investimentos

Leilão A-4

O leilão A-4, realizado nesta sexta-feira (28), contratou 401,6 MW de potência divididos em 15 projetos de fontes renováveis de energia. Os empreendimentos somam R$ 1,9 bilhão em investimentos previstos na construção de novas usinas, com potencial para geração de 4.500 empregos. O projeto foi qualificado pelo Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) para fazer parte do portfólio na 9ª reunião, em maio deste ano.

O objetivo do leilão foi contratar energia proveniente de novos empreendimentos de geração de fontes hidrelétrica, eólica, solar fotovoltaica e termelétrica a biomassa, com início do suprimento a partir de janeiro de 2023. No arremate, foi registrado um deságio médio de 45%, o que representa uma economia de R$ 2,166 bilhões para os consumidores de energia.

Para o Secretário de Coordenação de Energia e Aeroportos do PPI, Pedro Bruno Barros, os 15 projetos reforçam a vocação do Brasil como referência no âmbito de investimentos em fontes renováveis de energia. "O sucesso do leilão corrobora o nível de maturidade regulatória do setor de energia, que tem cada vez mais atraído investidores. Como consequência, há o impacto direto no custo da energia, gerando benefício à população", avalia.

O maior número de projetos contratados foi da fonte solar, que somou uma capacidade instalada de 203,7 megawatts. Ao todo, seis usinas solares foram contratadas: uma em Minas Gerais e cinco no Ceará, que obteve 36% dos investimentos e 40,8% da potência contratada neste leilão.

Contratos de Comercialização em Ambiente Regulado (Ccears) foram negociados por quantidade, com prazo de suprimento de 30 anos, para empreendimentos hidrelétricos; contratos por disponibilidade, com prazo de suprimento de 20 anos, para usinas a biomassa; e contratos por quantidade, com prazo de 20 anos, diferenciados por fontes para empreendimentos a partir das fontes eólicas e solar fotovoltaica. Foram negociados empreendimentos em 20 estados.

Leia outras notícias

  • PPI/Casa Civil e Ministério da Infraestrutura iniciam Road Show EUA-Canadá

    Continue lendo
  • Aberta audiência pública sobre concessão de dois terminais no Porto de Santos

    Continue lendo