Seu navegador não suporta javascript!

Programa de Parcerias de InvestimentosPPI

DIREITOS MINERÁRIOS DA CPRM - GO - Cobre de Bom de Jardim de Goiás

DIREITOS MINERÁRIOS DA CPRM - GO - Cobre de Bom de Jardim de Goiás 

Home > Projetos > DIREITOS MINERÁRIOS DA CPRM - GO - Cobre de Bom de Jardim de Goiás

Andamento do projeto

Estudos

Consulta Pública

Acórdão TCU

Edital

Leilão

Contrato

15/04/2018
19/06/2020
18/11/2020
30/11/2020
10/06/2021
  • Concluído
  • Em andamento
  • A realizar
  • CLASSIFICAÇÃO POR REUNIÃO

    1ª Reunião

  • SETOR

    Mineração

  • TIPO DE ATIVO

    Ativo Existente

  • Status do Projeto

    Em andamento

  • MODELO

    Concessão de Direito exploratório

  • TIPO DE INICIATIVA

    Estatal

  • UF

    GO

  • CAPACIDADE

    12,2 milhões de toneladas de minério com teor médio de 0,21% de cobre e 0,025 ppm de cobalto.

  • INVESTIMENTO CAPEX

    109.500.000,00

  • INVESTIMENTO OPEX

    236.100.000,00

  • ÓRGÃOS ENVOLVIDOS

    MME, CPRM e SPPI

  • PRAZO (ANOS)

    3 anos (pesquisa complementar), 2 anos (implantação da mina), até a exaustão da jazida (produção / operação).

  • OUTORGA MÍNIMA

    R$ 2.000.000,00 em parcelas crescentes, conforme o projeto avance (2,5%, 37,5% e 60%)

Informações do projeto

O Projeto Cobre de Bom Jardim de Goiás (GO), representado pelo Processo ANM nº 812.488/1974, localiza-se em uma área de 1.000 hectares ao sul da cidade de Bom Jardim de Goiás, no extremo oeste do estado de Goiás. A pesquisa mineral, realizada pela CPRM na década de 1970, compreendeu 29 perfurações a diamante, totalizando 6.725,40 metros de sondagem realizados. Em 18 de julho de 1979, a CPRM apresentou relatório final de pesquisa positivo ao extinto Departamento Nacional de Produção Mineral - DNPM (sucedido pela atual Agência Nacional de Mineração). O relatório foi aprovado por decisão publicada no Diário Oficial da União de 24 de julho de 1980.
 
Em 2017, a CPRM contratou consultoria externa especializada (GE21 Consultoria Mineral) para realizar a avaliação econômica do ativo e propor modelagem econômica para sua negociação. Em razão do estágio inicial do projeto e da presença e tendência de valorização das substâncias cobalto e ouro no mercado internacional, foi realizada uma reavaliação dos dados de pesquisa e do modelo geológico. 
 
Estimam-se recursos minerais inferidos da ordem de 12,3 milhões de toneladas, com teor médio de 0,21% de cobre, 0,025 ppm de cobalto (subproduto) e 122,26 ppm de ouro (subproduto). De acordo com a revisão, o minério lavrável corresponde a aproximadamente 3Mt a 0,57% Cu Eq, totalizando 52kt de concentrado a 27% Cu Eq (aproximadamente 21,6 milhões de libras de cobre e 1,75 milhões de libras de cobalto), apresentando relação estéril-minério (REM) média superior a 4:1.
 
Com base nesses dados geológicos, o relatório de avaliação econômica concluiu que o projeto:
a) apresenta indicadores econômicos positivos, ainda que pouco atrativos;
b) não está maduro o suficiente para ser implantado devido ao seu atual quadro de recursos e as suas condições técnicas e econômicas, demandando a realização de pesquisa complementar para ampliar o conhecimento geológico e possibilitar o aumento qualitativo e quantitativo dos recursos (prospecto de exploração);
 
c) tem sua potencialidade ainda em aberto, podendo se tornar um alvo de exploração de interesse; e
d) apresenta ocorrências de ore-shoot (anomalias de alto teor mineral), que podem incrementar o potencial econômico do depósito como um todo. 

Este projeto foi qualificado no PPI pelo Decreto nº 8.893, de 1º de novembro de 2016.

  • Situação atual do projeto

    O edital foi publicado em 30/11/2021, com leilão previsto para 10/6/2021 (nova data).

    No momento, estão sendo realizadas reuniões bilaterais com possíveis investidores e interessados. O agendamento de reunião bilateral é aberto a todos, devendo ser solicitado por meio do e-mail ppi.mineracao@cprm.gov.br

Galeria

Cobre de Bom Jardim

Cobre de Bom Jardim

Ver outros projetos

  • Concessão de Florestas - Floresta Nacional de Três Barras – SC

    Veja Projeto
  • Desestatização da Companhia Docas da Bahia (CODEBA) e dos Portos Organizados de Salvador, Aratu-Candeias e Ilhéus

    Veja Projeto
Acesso à Informação
Governo do Brasil